O que é Blefaroplastia sem corte?

Antes de falarmos sobre a Blefaroplastia sem corte, precisamos entender o que é a Blefaroplastia convencional.

Conforme vamos envelhecendo, nossa pele perde parte da gordura e grande parte da sua característica de elasticidade, favorecendo o aparecimento de flacidez e rugas.  Essa flacidez na pele das pálpebras gera aquele indesejado “olhar caído”, ou “olhar cansado”.

A blefaroplastia convencional é um processo cirúrgico – também conhecido como cirurgia de pálpebra – e que vem para minimizar o excesso de pele, reduzir rugas e retirar as bolsas sob os olhos. O problema da blefaroplastia convencional (procedimento cirúrgico: com corte, anestesia e bloco cirúrgico), é que você deixa uma cicatriz na pálpebra, e algumas pessoas relatam um desconforto estético no momento de piscar os olhos por conta do aparecimento da linha do corte da cirurgia.

A Blefaroplastia sem corte é um procedimento estético não invasivo, que pode ser realizado com diferentes técnicas, utilizando jato de plasma ou eletrocautério. Segundo o censo de 2018 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a Blefaroplastia foi o sexto procedimento mais realizado no Brasil.

Mas porque fazer uma Blefaroplastia sem corte?

Você já percebeu que o olho é uma das primeiras coisas que você vê na outra pessoa? Observe que em termos de proporção, é uma pequena área em tamanho mas que traz um grande impacto. Além disso, é uma das primeiras regiões que evidenciam os sinais da passagem do tempo no nosso corpo. 

Uma pessoa com excesso de pele nas pálpebras, passa um ar de cansaço – que pode até atrapalhar na carreira profissional – mas também pode trazer desconforto funcional uma vez que a pele em excesso pode atrapalhar o campo de visão.

A blefaroplastia ajuda a corrigir o aspecto das pálpebras caídas, e permite rejuvenescer sem mudar a fisionomia.

Quem pode, e quem não pode fazer Blefaroplastia sem Corte?

A princípio qualquer pessoa que tenha excesso de pele nas pálpebras podem se submeter ao procedimento, incluindo diabéticos – desde que esteja com a diabetes controlada e com a devida apresentação de atestado médico autorizando o procedimento. Além disso, pessoas de mais idade, uma vez que não vai existir intervenção cirúrgica, nem altas dosagens de sedativos que poderiam gerar algum tipo de complicação.

Apesar de ser um procedimento realizado em geral em pessoas com mais idade, aconselhamos a realizar o preventivo com esse tratamento antes das pálpebras apresentarem flacidez, pois lembre-se que tratar preventivamente ou no início do aparecimento de rugas e / ou flacidez, é muito mais simples e eficiente do que deixar para quando o quadro já estiver mais avançado.

Por outro lado, alguns pacientes realmente possuem contra-indicação no procedimento, por exemplo: pessoas com próteses metálicas muito grandes a exemplo de marca-passo, prótese de quadril e outras próteses onde a corrente elétrica gerada pelos aparelhos de blefaroplastia sem corte podem vir a interferir na corrente do marca-passo por exemplo.

Como é feita a Blefaroplastia sem corte?

Dentre as técnicas mais seguras e acessíveis para realizar o procedimento de blefaroplastia sem corte, os dois mais utilizados e recomendados são: Jato de Plasma e Eletrocautério. A técnica de aplicação de ambos são parecidas, mas agem de maneira diferentes, veja a seguir:

  • Jato de plasma: O intuito deste post não é lhe explicar os conceitos de física, mas vou resumir brevemente para que você entenda como ocorre o processo na sua pele ao se submeter a este procedimento: 

O plasma é o quarto estado físico da matéria (desde os tempos do colégio estudamos outros três estados: sólido, líquido e gasoso). Ele se forma quando uma substância gasosa é aquecida em uma temperatura tão alta que desintegra a ligação entre as moléculas de oxigênio e hidrogênio, então essa substância se torna condutora de calor e de eletricidade, e é justamente essa corrente elétrica que atua na pele das pálpebras.

  • Eletrocautério: É uma tecnologia que realiza uma espécie de cirurgia elétrica sem corte, como se fosse um bisturi elétrico.

Após uma completa higienização da área, a profissional faz marcações-alvo nas pálpebras com um lápis dermatográfico, demarcando as áreas que têm excesso de pele – igual ocorre numa blefaroplastia convencional. Em seguida ele entra com o eletrocautério, direcionando a ponteira do aparelho para os pontos que ele marcou nas pálpebras.

A corrente elétrica passa por um fio de metal e gera calor. Na ponta, uma ponteira aquecida é aplicada no tecido e gera um processo de eletrofulguração no tecido da pálpebra – é como se o tecido fosse “queimado” pelo calor da ponteira. Na sequência ele é removido e cauterizado,  isso tudo sem cortes, somente com a ação do eletrocautério. 

A ponteira do aparelho toca levemente a pele, e somente causa as micro-lesões, que vão estimular a produção de colágeno e elastina pelo próprio corpo, que vai ser a parte mais importante do processo de cicatrização. O colágeno é o responsável pela melhoria do viço da pele, minimizando o aspecto de olhar envelhecido e linhas de expressão.

O procedimento de blefaroplastia dói?

A blefaroplastia sem corte é tida como um procedimento praticamente indolor. Não existe a necessidade de injetar sedativos, é aplicada uma pomada anestésica que torna o processo mais confortável para o paciente.

Como é o processo pós-blefaroplastia sem corte?

Ainda na estética como parte do protocolo de blefaroplastia sem corte, a profissional aplica uma pomada cicatrizante e um filtro protetor com base, para proteger do sol. Essa primeira aplicação você pode ficar com ela de 4 a 6 horas no seu rosto, e a profissional vai lhe passar algumas instruções para auxiliar no processo de recuperação.

Minutos após o procedimento, é normal provocar um certo inchaço nas áreas de aplicação e isso ocorre pois o processo de cicatrização começou – e é exatamente o que queremos. 

Outras reações totalmente esperadas, são: vermelhidão nas pálpebras nos primeiros dois a três dias mas podendo se estender em até 7 dias, e formação de crostas – as famosas casquinhas – por volta do terceiro dia. A tendência é que as crostas se soltem, e recomendamos que isso aconteça ao natural, então uma das principais recomendações são para que você não as arranque, elas vão melhorar como se fosse num machucado comum.  

Logo abaixo dessa crosta que vai acontecer a retração da pele e que vai dar o efeito lifting nas suas pálpebras.

Dicas antes e após você fazer a Blefaroplastia sem corte na FacePeel:

Antes de fazer o procedimento, retire totalmente o rímel do seu olho: Isso porque depois do procedimento, nos primeiros dois a três dias lá no início do processo de recuperação, talvez você não consiga fazer uma higiene perfeita do seu olho, então limpar o rímel depois disso pode ser um pouco desconfortável.

Nas primeiras 72 horas, é recomendado não molhar a região, para não atrapalhar o processo de cicatrização e a formação das casquinhas, então para fazer a higiene, umedeça ligeiramente um cotonete, e faça cuidadosamente a higiene com o cotonete.

Ainda nas primeiras 72 horas, para amenizar o desconforto do inchaço, faça compressas frias com chá de camomila a cada período de aproximadamente 8 horas. 

Evite a exposição solar nos primeiros dias, e espalhe o protetor solar que a profissional irá recomendar na área que foi realizado o procedimento. 

Durante os primeiros dias, até as crostas cairem naturalmente, aplique a pomada Bepantol recomendada pela profissional, de forma que as crostas permaneçam hidratadas e não sequem.

Outros procedimentos Realizados com Eletrocautério:

Além da blefaroplastia sem corte, o eletrocautério permite diversas aplicações estéticas, com resultados incríveis, veja algumas delas:

  • Cicatrizes de Acne;
  • Remoção de pintas, verrugas…
  • Estrias e Cicatrizes, onde induz a reestruturação das fibras de colágeno;
  • Linhas de Expressão;
  • Mini-liftings de pálpebras, sulcos;
  • Rejuvenescimento de pescoço;

Onde é feita a blefaroplastia em Lajeado?

Na estética FacePeel, a profissional Michele Bedin – esteticista facial e graduanda em Biomedicina, realiza o procedimento de Blefaroplastia sem corte com Eletrocautério. Para potencializar os resultados são realizadas de duas a três sessões, com intervalo de 30 a 40 dias entre elas.